01/05/2017 às 18h52min - Atualizada em 01/05/2017 às 18h52min

Governador atende reivindicações e aulas voltarão ao normal nesta terça-feira

Com informações do Sintego
Da Redação Salobinha News

 

Os trabalhadores em Educação de todo o Estado de Goiás aprovaram fim da greve em Assembléia Geral realizada na última terça-feira.

A professora Régia Peres, mobilizadora dos protestos em Montes Claros de Goiás, garante que os alunos não serão prejudicados pela greve dos profissionais em educação. “Queremos agradecer aos pais e alunos pela compreensão e tranquiliza-los pois, vamos trabalhar incansavelmente para reposição de aulas, para que os estudantes não sejam prejudicados”, enfatizou a professora Régia.

A presidente do Sintego, Bia de Lima, destacou que a greve foi uma vitória histórica, pois havia pontos que estavam sendo negociados há 15 anos, como a questão do Quadro Transitório do Magistério. Segundo Bia, o reajuste de 21% para os administrativos; o reajuste de 7,64% para os professores e de 34% para os contratos temporários, somado ao auxílio alimentação, ajudam a recuperar as perdas, e que o Sintego vai continuar lutando na Justiça pelo Piso de 2016 para os professores PIII e PIV.

Ao todo foram dez itens conquistados na negociação:

Pontos conquistados

- 21% de aumento para os administrativos;

 - 34% para contratos temporários;

- 7,64% de aumento para os professores de todos os níveis (PI, PII PIII e PIV), incluindo aposentados;

- Auxílio alimentação de R$ 500,00 para administrativos e professores (efetivos, contratos temporários e comissionados);

- Progressão para 448 professores do Quadro Permanente do Magistério;

- Concurso público para 900 professores PIII e 100 administrativos;

- Aumento de 58% para o Pró-Escola (programa que custeia reformas e reparos nas unidades de ensino);

- Aumento de 20% para os recursos da merenda escolar;

- Recriação das 40 subsecretarias com uma nova nomenclatura;

- Gratificação por dedicação em período integral (GDPI) para professores, diretores e coordenadores nas escolas em tempo integral;

Piso de 2016 – PIII e PIV

O Sintego já está com ação na Justiça para que o governo pague o reajuste de 11,36% do Piso definido pelo MEC (Ministério da Educação) em 2016, e que não foi pago pelo governo do Estado aos professores PIII e PIV.

Volta às aulas

Por maioria, a categoria também decidiu que a volta às aulas será nesta terça-feira (02/05), por conta da vigília de acompanhamento da votação da PEC 3548 da Greve Geral contra a retirada de direitos, no dia 28/04.

Reposição

A presidenta do Sintego, Bia de Lima, informou que negociou junto à secretária de Educação, Raquel Teixeira, que não haverá corte de ponto para os trabalhadores que participaram dos 41 dias da greve, uma vez que a greve não foi considerada ilegal. Bia esclareceu à categoria que a reposição das aulas será negociada entre o Sintego e a Seduce, e que não haverá prejuízos para os professores e nem para os alunos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

227587

views

373999

< < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < <
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp