12/12/2018 às 08h41min - Atualizada em 12/12/2018 às 08h41min

Operação Postergeist: Justiça determina prisão de Vagno e Anderson por coagir Natã

Aline Leonardo - Centro de Comunicação Social do TJGO
Com informações do site TJGO retirado do texto de
Foto: Reprodução/Google
 
 
O desembargador João Waldeck Felix de Sousa concedeu medida cautelar para determinar a prisão preventiva do pastor evangélico Vagno Sebastião Fernandes de Miranda e o policial Anderson Luís Coelho envolvidos na Operação Postergeist.

Os mandados foram cumpridos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de Goiás, em parceria com a Polícia Civil e promotores de Justiça, com o apoio do Centro de Inteligência (CI) do Ministério Público.

De acordo com o Ministério Público, em maio de 2017, um estagiário do Fórum local, Natã Cruvinel, informou ao Gaeco, ostensivos assédios para mudar o conteúdo de seu relato em juízo. Encontro na sala do tribunal do júri no Fórum de Montes Claros de Goiás foi gravado por câmara de segurança, onde o rapaz foi instruído por Vagno e Anderson para que mudasse sua narrativa e livrasse Daniel Messac apontado como chefe da organização criminosa.

Ministério Público solicitou a interceptação telefônica dos envolvidos, bem como a quebra do sigilo dos registros anteriores que mostraram ligações telefônicas de Vagno para Natã e os vínculos entre Vagno e Daniel Messac.

A Operação Postergeist foi deflagrada em abril de 2014 com o objetivo desmontar um esquema de desvio de recursos públicos por meio da contratação de servidores fantasmas na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás.

Fonte: Notícias do TJGO
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

227587

views

373999

< < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < < <
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp